Segurança Pública e Militarização

Ementa

 A militarização da sociedade brasileira é um processo de longa duração e de maneira geral pode -se dizer que a acompanha desde sua origem. Entretanto o século XX, por meio de suas ditaduras civis -militares, recrudesceu tal processo. Em razão disso, é possível afirmar que a utilização das polícias militares m no controle e gestão da população civil, a manutenção dessas polícias como forças auxiliares ao exército, a estrutura hierarquizada e não democrática de suas corporações, são marcos desse processo persistem à redemocratização da sociedade brasileira.

Outro elemento central é a continuidade de práticas de tortura por parte de instituições policiais, chacinas, mortes sumárias, sequestros e a formação de grupos de extermínio e a criminalização de determinadas categorias sociais, que exemplificam as práticas não democráticas estabelecidas e legitimadas no período de ditadura e que persistem na atualidade à revelia dos poderes instituídos, sentenciando a sociedade brasileira à eternização velada da ditadura.

 Nesse sentido, o Grupo de Trabalho: Segurança Pública e Militarização busca desvelar como se deu o processo de recrudescimento da militarização da sociedade brasileira nos períodos ditatoriais, bem como analisar a manutenção das práticas antidemocráticas fortalecidas nesses períodos e que ainda hoje fazem parte do repertório de ações quando se pensa na segurança pública.

Metodologia: procurando alcançar os objetivos propostos acima, o GT tem buscado em documentos referentes ao período analisado, em depoimentos de pessoas que vivenciaram o período, bem como em bibliografia pertinente ao tema, elementos que o auxiliem na construção do cenário acima descrito.

Coordenador:

Pedro Rodolfo Bodê de Moraes

Equipe:

  • Samara Feitosa
  • Marcelo Bordin
Recomendar esta página via e-mail: